EPM conclui programação do curso de especialização em Métodos alternativos de solução de conflitos

Próxima etapa consistirá de estágio supervisionado.

 

Foi realizada ontem (13) a aula de encerramento do Curso de especialização em Métodos alternativos de solução de conflitos da Escola Paulista da Magistratura (EPM). O evento teve a participação das professoras assistentes desembargadora Maria Lúcia Ribeiro de Castro Pizzotti Mendes e juízas Cláudia Maria Chamorro Reberte Campaña, Márcia Helena Bosch e Maria Cláudia Bedotti.

 

Na oportunidade, Maria Lúcia Pizzotti agradeceu às professoras e aos palestrantes, pela colaboração e empenho nas atividades, e aos alunos por prestigiarem o curso da EPM.

 

Com mais de 100 alunos, o curso foi aberto no dia 3 de agosto do ano passado, e teve sete módulos: Introdução e Comunicação; Conflito; Negociação; Mediação; Conciliação; Arbitragem e Legislação. A coordenação esteve a cargo do desembargador José Carlos Ferreira Alves, coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TJSP (Nupemec); e do juiz Ricardo Pereira Júnior, coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) central.

 

Até maio do próximo ano, os alunos deverão cumprir 60 horas de estágio supervisionado, equivalente ao oitavo módulo obrigatório. Em seguida, deverão elaborar a monografia.

 

MA (texto) / (EA) fotos