Enfam inicia nova edição do curso ‘Formação de formadores’ para a Região Sudeste na EPM

Primeiro módulo tem a duração de três dias.

 

Teve início hoje (23), na EPM, o módulo inicial do curso Formação de formadores – Nível 1, promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), com o apoio da EPM, para magistrados que atuam na formação inicial e continuada de juízes em escolas judiciais estaduais e federais da Região Sudeste e do Rio Grande do Sul.

 

Com a duração de três dias, o módulo consiste de exposições e dinâmicas para discussão de temas relacionados aos processos de ensino e de aprendizagem orientados para o desenvolvimento de competências, como o planejamento de aula e a análise do trabalho docente, a partir de princípios pedagógicos da Enfam.

 

Participam 28 magistrados dos tribunais de Justiça de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, dos tribunais federais da 3ª e da 4ª Região, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul e do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região. O curso também tem a participação de uma servidora da Escola Superior da Magistratura do Espírito Santo (Esmages).

 

A abertura dos trabalhos foi feita pelo diretor da EPM, desembargador Francisco Eduardo Loureiro, que deu as boas vindas e agradeceu a presença de todos, em especial dos formadores da Enfam. Ele destacou a importância do curso, salientando que ele formará novos disseminadores das propostas pedagógicas da Enfam.

 

A secretária-geral da Enfam, juíza federal Cíntia Menezes Brunetta, agradeceu o acolhimento na EPM e a participação de todos. Ela também frisou a importância do curso e lembrou que a programação apresenta a perspectiva da formação profissional dos magistrados ligada aos princípios da Pedagogia.

 

Na sequência, foram realizadas exposições e atividades em grupo sobre aspectos relacionados ao desenvolvimento dos cursos de formação de magistrados e aos elementos da atividade docente no contexto da magistratura, conduzidos pela juíza federal Tais Schilling Ferraz e pelo juiz Ângelo Bianco Vettorazzi, coordenador-geral da Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará (Esmec).

 

No período da tarde, foram discutidas as especificidades dos processos de ensino e de aprendizagem, com mediação da pedagoga Maria Eveline Pinheiro.

  

RF (texto e fotos)